Viana considera equívoco coalizão ter 2 nomes para Câmara

O governador do Acre, o petista Jorge Viana, disse nesta segunda-feira que considera "um grave problema" o fato de a base aliada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter mais de um candidato à presidência da Câmara. "Não posso falar pela bancada, mas tem que ter entendimento. É um péssimo exemplo para a coalizão se a gente não tiver entendimento numa área como essa em que só político se mete. Senão, a gente corre o risco de perder de novo. Se a gente apresentar dois ou mais candidatos, ninguém vai entender que coalizão é essa", disse Viana, que participa de seminário com governadores e deputados estaduais do PT, em Brasília.O governador desconversou ao ser questionado se ocupará algum ministério no segundo mandato do governo Lula, mas foi claro ao defender que o PT tenha papel de destaque no primeiro escalão a partir de 2007. "O PT tem que ter papel chave dentro do governo de coalizão. Com os problemas que tivemos com alguns companheiros nossos, o PT está devendo se destacar mais. Não quero dizer quantidade de ministérios, mas talvez áreas de mais visibilidade", afirmou Viana.Ele defendeu a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e disse considerar "um grande equívoco, quando se tenta trazer para a área ambiental os entraves do País". O governador disse, no entanto, que a ministra terá "maturidade" para entender se o presidente Lula resolver trocar o comando do ministério. Mas insistiu que "a área ambiental é o que dará qualidade ao crescimento do País".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.