Viagem de Mangabeira foi outra

O ministro Roberto Mangabeira Unger usou a viagem pela África para ler livros de escritores de países colonizadores. No giro, evitou conversas mais longas com africanos e colegas de comitiva. Carregou para todo canto livros em versões inglesas e francesas. Na viagem de São Paulo para Uagadugu, ele, que antes de assumir disse que o governo Lula era o mais corrupto da história, leu boa parte do épico Paradise Lost, do poeta inglês John Milton (1608-1674). Já na cerimônia em Brazzaville, na República do Congo, Mangabeira Unger estava com outro livro: as obras completas do filósofo francês Henri Bergson (1859-1941).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.