Vereadores do PT aparecem mudos na TV

Em meio a clipes animados das realizações da administração da prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), candidata à reeleição em São Paulo, o PT reeditou a Lei Falcão na TV para os candidatos a vereador. Na ditadura militar, o ex-ministro da Justiça Armando Falcão baixou uma lei que proibia os candidatos de falarem na publicidade eleitoral. Coadjuvantes no espaço reservado à publicidade eleitoral gratuita, os candidatos petistas apareceram na estréia por apenas alguns segundos, ao lado do número. Não puderam dizer nem o nome e nenhum currículo foi citado. O líder de Marta na Câmara, João Antônio (PT), aposta em mudanças no formato da publicidade eleitoral gratuita escolhido pelo marqueteiro Duda Mendonça. "Estamos numa fase inicial e não imagino que seja uma coisa definitiva", disse. O vereador Odilon Guedes (PT) afirma que é necessário, pelo menos, qualificar os candidatos. "É preciso saber se é advogado, economista, para que a sociedade veja a diversidade dos candidatos do partido." Os candidatos a vereador de quase todos os partidos fizeram campanha aberta para os candidatos majoritários. Na maioria das vezes, porém, podiam ao menos dizer o nome. Além de Eduardo Suplicy, atuaram como puxadores de votos o vice-presidente José Alencar (PL), o presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire (PE), e os presidentes dos Diretórios Municipal do PSB, José Carlos Venâncio, e Estadual do PMDB, Orestes Quércia. PPS, PSB e PMDB não divulgaram candidato à Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.