Vereadores contestam efeitos da fidelidade

A União dos Vereadores do Paraná entrou no Tribunal Superior Eleitoral com mandado de segurança coletivo e preventivo contra os efeitos da resolução do TSE que impôs a fidelidade partidária a deputados e vereadores a partir de 27 de março. A entidade, que representa 3.692 vereadores, é favorável à fidelidade, mas discorda de procedimentos do processo de cassação. Para os vereadores, três artigos da resolução são inconstitucionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.