Vereadora do Rio chama Nicolás Maduro de 'Madruga'

Em discurso no plenário da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, na última segunda-feira (17), a vereadora Leila do Flamengo (PMDB) chamou de "Madruga" o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ao ressaltar que votou contra a homenagem ao herdeiro político de Hugo Chávez proposta por um colega. A medida, aprovada em maio do ano passado por 21 votos a seis, é de autoria do vereador Leonel Brizola Neto (PDT).

MARCELO GOMES, Agência Estado

19 de fevereiro de 2014 | 17h29

Leila discursava contra a violência no protesto ocorrido no Centro do Rio, no último dia 6, durante o qual o cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade, de 49 anos, foi atingido na cabeça por um rojão que foi acionado por dois manifestantes. O jornalista morreu dias depois. O discurso de Leila foi filmado pela TV Câmara. Na transcrição do discurso, porém, a palavra "Madruga" foi alterada por "Maduro".

O vídeo e a transcrição do discurso estão publicados na íntegra no site da Câmara de Vereadores. "Eu quero encerrar dizendo que não pedirei um minuto de silêncio para Santiago (Andrade) hoje, porque ele merece que seja amanhã (terça-feira, 18), com esta Casa cheia. É uma vítima, um trabalhador que cumpria seu dever. Como é que a imprensa vai ter liberdade? Nós não estamos na Venezuela. É por isso que votei contra a homenagem ao ditador criminoso que é o Madruga. Absurdo! Mas eu tive a coragem, a hombridade de votar contra", bradou a vereadora.

Uma montagem feita com a vereadora e o personagem Seu Madruga, do seriado mexicano "Chaves", foi publicado nessa terça-feira, 18 no perfil "Nerds com Freixo", do Facebook. No fim da tarde desta quarta-feira, 19, a montagem já tinha mais de 2 mil compartilhamentos. O perfil foi criado em homenagem ao deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL).

Tudo o que sabemos sobre:
VereadoraRioMadruga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.