CMC
CMC

Vereador que invadiu igreja em Curitiba durante protesto antirracista pede licença do cargo

Afastamento temporário termina na próxima semana; Renato Freitas (PT) alega ser alvo de ameaças de morte

Levy Teles, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2022 | 19h03

O vereador de Curitiba Renato Freitas (PT) protocolou, nesta quarta-feira, 16, pedido de afastamento dos trabalhos na Câmara Municipal por um período de cinco dias. Segundo a assessoria do parlamentar, ele tem sido alvo de "ameaças constantes e cada vez mais violentas", incluindo de morte, além de injúrias raciais. Assim, o objetivo do pedido de licença seria garantir a ele um período de repouso. 

No começo de fevereiro, Freitas liderou um protesto antirracista dentro da igreja Nossa Senhora do Rosário, na capital paranaense. O grupo de manifestantes entrou na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de São Benedito, no centro histórico, após celebração de uma missa. O episódio rendeu críticas até do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que disse que o vereador “não tem direito de invadir a igreja" e que deveria pedir desculpas.

A manifestação foi realizada em homenagem a Moïse Kabagambe, espancado até a morte por cobrar pagamentos atrasados num quiosque do Rio de Janeiro, e a Durval Teófilo Filho, morto a tiros na entrada do condomínio onde morava por um vizinho, que alegou ter pensado se tratar de um ladrão. 

O atestado do parlamentar foi apresentado à Câmara Municipal na quarta-feira e justifica as ausências de Freitas nos dias 15 e 16 de fevereiro. O documento não informa qual condição clínica o afastou. Ainda segundo a equipe do vereador, ele vai retomar as atividades parlamentares já na segunda-feira. 

O Conselho de Ética da Câmara Municipal de Curitiba aceitou quatro denúncias que pedem a cassação do vereador. Os documentos alegam quebra de decoro parlamentar. Em entrevista ao Estadão no dia 7, o vereador disse que o padre da arquidiocese “não teve empatia”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.