Vereador do PV é assassinado em Sergipe

O vereador e sindicalista Carlos Gato (PV), que ficou conhecido por ter denunciado, há cerca de dois anos, a utilização de mão-de-obra infantil nas plantações de laranja de Sergipe, foi assassinado com 10 tiros de revólver, ontem à noite, na cidade de Pedrinhas, na região Centro-Sul do Estado. O crime, segundo o advogado João Fontes, membro do PT de Sergipe, tem conotação política.Presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Citricultura de Sergipe, Carlos Gato foi eleito vereador no ano passado, pelo município de Boquim, vizinho de Pedrinhas. Ele era o primeiro secretário da Câmara Municipal de Boquim e presidente da Associação dos Vereadores da Região Centro-Sul de Sergipe, além de secretário-geral da Associação Nacional dos Vereadores. O crime, segundo testemunhas, ocorreu em frente ao "Bar Gazeta", principal ponto de encontro da cidade de Pedrinhas. O vereador estava dentro do bar, tomando uma cerveja. Um garoto o teria atraído para fora do estabelecimento, dizendo que algumas pessoas queriam falar com ele. Na rua, o sindicalista foi atingido pelos disparos de dois pistoleiros, que após o crime, fugiram num carro dirigido por um terceiro. O corpo do sindicalista foi autopsiado em Aracaju e sepultado hoje, em Boquim, com o acompanhamento de vários políticos sergipanos. Até agora, a polícia não tem pistas dos assassinos nem dos prováveis mandantes do crime. Nos últimos anos, além das denúncias sobre a utilização de mão-de-obra infantil nas plantações de laranja do Centro-Sul sergipano, Carlos Gato vinha fazendo acusações contra vários políticos da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.