Vendedores aproveitam eleições para fazer comércio em frente aos colégios eleitorais de Porto Velho

Em Rondônia, são 685 locais de votação, que abrigam as 4.428 seções eleitorais

Quetila Ruiz, Especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2016 | 15h41

PORTO VELHO - Vendedores autônomos de Porto Velho aproveitaram a votação deste domingo, 2, para aumentar a renda familiar, com vendas de água, lanches, sucos e outros produtos em frente aos colégios eleitorais. 

William Lima votou cedo e depois montou uma barraquinha para vender diversos produtos, como doces e refrigerantes. Ele estará o dia todo na escola Classe A, na zona Sul de Porto Velho, de onde sairá apenas no fim da votação. Em Rondônia, são 685 locais de votação, que abrigam as 4.428 seções eleitorais.

Denúncia. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, o aplicativo para denúncias Pardal está apresentando problemas. Com isso, o TRE pede que as denúncias sejam encaminhadas para o 0800 148 0148. Mas, de acordo com a instituição, as eleições em Rondônia estão tranquilas e sem ocorrências.

Cinco eleitores já foram detidos e levados à Justiça Federal para verificar a suspeita de crime eleitoral. Já no município de Cacoal uma denúncia anônima levou a prisão da vereadora e candidata a reeleição Maria Simões (PR).

Segundo informações da Justiça Eleitoral, a candidata fazia a compra de votos próximo a uma escola particular da cidade. Ela foi ouvida e responderá por compra de votos. Também em Cacoal um candidato a vereador foi notificado pela Justiça Eleitoral acusado de jogar santinhos em via pública.

Mesmo com esses registros, a juíza eleitoral Ana Valéria relatou que a eleição tem sido bem tranquila e está acontecendo com muita agilidade.

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, 21 escolas de Porto Velho não estão adaptadas para receberem eleitores com necessidades especiais.

Mais conteúdo sobre:
PORTO VELHORondôniaTRE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.