Venda de protetores solares cresce 20%

O medo do câncer de pele tem feito os brasileiros recorrer cada vez mais ao protetor solar. Segundo o último levantamento da Nielsen, as vendas de protetores e bronzeadores, de novembro de 2000 a abril deste ano, aumentaram 28% em volume e 20% em valor, ante o resultado do verão 1999/2000, quando essa classe de produtos movimentou R$ 184 milhões.Do total vendido este ano, 70% foram protetores solares e 30% bronzeadores, o que ratifica a preocupação das pessoas em relação às doenças da pele provocadas pelos raios ultra-violeta. De acordo com a pesquisa, a penetração dos protetores solares chega a 60% nas classes A, B e C, em alguns mercados como São Paulo - dado que comprova a popularização do produto. O Brasil é o sétimo maior consumidor de protetores solares no mundo, atrás dos Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, França, Itália e Japão.A linha de protetores e bronzeadores Sundown, da Johnson&Jonhson, que detinha 38% desse mercado em volume e 44,7% em valor, aumentou sua fatia para 41,3% em volume durante os meses de janeiro e fevereiro deste ano. Durante todo o ano de 2000, a J&J vendeu um milhão de litros de Sundown, disparando na frente da Schering (Coppertone), segunda colocada no ranking, com participação de 20% desse mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.