Venceslau confirma denúncias contra Okamoto em acareação

O economista Paulo de Tarso Venceslau reafirmou, no início da acareação na CPI dos Bingos, com o presidente do Sebrae, Paulo Okamoto, todas as acusações apresentadas em depoimento prestado anteriormente à CPI dos Bingos. Ele disse que Okamoto circulava nas prefeituras do PT, no interior de São Paulo, em busca de recursos para o Partido dos Trabalhadores, das empresas fornecedoras às administrações de cidades governadas pelo PT. Venceslau também acusou Okamoto de ter sido a pessoa responsável pela sua exoneração do cargo de secretário de Finanças de São José dos Campos, quando a cidade era administrada pela deputada Angela Guadagnin. O economista disse também que Okamoto tentou impedir que ele falasse aos secretários de Finanças de Municípios administrados pelo PT, sobre a influência do empresário Roberto Teixeira "compadre do presidente Lula", nas administrações municipais do partido, no Estado de São Paulo. Ele lembrou que Teixeira era o maior credor da Prefeitura de Campinas e chegou a receber US$ 10 milhões da prefeitura de São José dos Campos. Na acareação, Venceslau lembrou que Lula morou por muitos anos em uma casa do empresário Roberto Teixeira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.