Vencedor terá 90 dias para fazer plano de metas

Movimento sugere 1.500 propostas aos candidatos para inspirar programa do vencedor

Clarissa Oliveira e Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

22 de julho de 2008 | 00h00

Ao tomar a iniciativa de entregar uma lista de 1.500 propostas para a cidade aos candidatos à prefeitura, o Movimento Nossa São Paulo diz esperar que parte das sugestões sejam incluídas no programa de metas do vencedor da corrida de outubro. De acordo com a emenda nº 30 da Lei Orgânica do Município, aprovada em fevereiro deste ano, o candidato que sair vitorioso da eleição terá 90 dias para apresentar um plano de metas a serem cumpridas durante a gestão. Todos os 11 candidatos que participam da disputa municipal começaram a receber no início de junho os convites para o evento de ontem. A platéia de 450 pessoas que encheu o auditório do SESC Consolação assistiu a exposições de Marta Suplicy (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Gilberto Kassab (DEM), Soninha Francine (PPS), Ivan Valente (PSOL), Levy Fidelix (PRTB), Renato Reichmann (PMN) e Edmilson Costa (PCB). Os candidatos Paulo Maluf (PP), Ciro Moura (PTC) e Anaí Caproni (PCO) não participaram. Segundo a assessoria do movimento, nenhum deles justificou a ausência. A Lei do Programa de Metas, como ficou conhecida a emenda 30, prevê que sejam detalhadas metas para a cidade, para cada uma das 31 subprefeituras e para todos os distritos da cidade, com base nas propostas debatidas na campanha. O texto da lei prevê ainda que o Executivo divulgue semestralmente indicadores de desempenho referentes à execução dessas metas. Ao final de cada ano do mandato, será divulgado também um relatório sobre a execução do programa.O cumprimento da Lei do Programa de Metas foi um dos compromissos cobrados no ato de ontem pelo coordenador do Movimento Nossa São Paulo, Oded Grajew. A lista de reivindicações do próprio movimento inclui ainda o cumprimento integral da Lei Orgânica do Município, a instituição do Plano Diretor e o respeito às normas de implantação de indicadores de desempenho no serviço público, entre outras. As idéias, afirmou Grajew, foram guiadas por três eixos básicos: a transparência na administração municipal, o combate à desigualdade e o aumento da participação da sociedade na gestão. Em seus discursos, todos os candidatos presentes elogiaram a iniciativa do movimento. E garantiram que os eixos definidos vão guiar a campanha eleitoral e uma eventual gestão à frente do município. Já a lista de 1.500 sugestões para a cidade de São Paulo entregue aos candidatos foi desenvolvida a partir de fóruns e debates organizados pelo Movimento Nossa São Paulo. Aparecem na lista idéias como a criação de uma carteirinha única para ônibus, metrô e trens da CPTM e de um Fundo Municipal da Cultura. A relação conta ainda com idéias que vão da instituição de eleições diretas para as subprefeituras a isenções de impostos para estimular o plantio de árvores na cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.