Vem Pra Rua faz panelaço em MG contra medalhas a ministros e presidente do STF

Movimento organiza ato durante tradicional cerimônia da entrega pelo governo de Minas da Medalha da Inconfidência

DAIENE CARDOSO E ISADORA PERON, O Estado de S. Paulo

20 Abril 2015 | 15h57

Brasília - O movimento Vem Pra Rua prepara um novo protesto contra o PT, desta vez durante a entrega pelo governo mineiro da Medalha da Inconfidência. A convocação para o panelaço, marcado para esta terça-feira, 21, às 10h em Ouro Preto (MG), está sendo feita pelas redes sociais. O grupo também organiza um ato simultâneo na Praça Tiradentes, em Belo Horizonte.

Em seu primeiro ano de gestão após 12 anos de administração tucana, o atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), decidiu homenagear o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. O ministro do STF é questionado por ter votado contra a condenação de petistas, como o ex-ministro José Dirceu, durante o julgamento do mensalão.

A homenagem se estenderá também aos ministros do Planejamento, Nelson Barbosa, e da Previdência, Carlos Gabas, além do advogado-geral da União (AGU), Luís Inácio Adams, e do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas. Outro condecorado do dia será o líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), João Pedro Stédile.

"Repudiamos que a Medalha da Inconfidência seja dada a apadrinhados do PT de reputação duvidosa. Tiradentes é um herói que não merece essa afronta", diz a convocação nas redes sociais. "Nosso herói não merece tamanha afronta!", enfatiza o texto na internet.

A Medalha da Inconfidência é uma homenagem oferecida pelo Estado a pessoas e entidades que, na avaliação do governo, contribuíram para o desenvolvimento de Minas e do Brasil. Este ano, 143 pessoas serão agraciadas com a honraria. Em nota divulgada à imprensa, o movimento diz que repudia veementemente as condecorações com a medalha "a pessoas ligadas à corrupção e à impunidade".

Mais conteúdo sobre:
protestovem pra ruaOuro Preto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.