SERGIO CASTRO / ESTADÃO
SERGIO CASTRO / ESTADÃO

Vem Pra Rua defende a renúncia de Temer

Comunicado divulgado nas redes sociais pelo grupo diz que ‘nossa guerra é contra a corrupção’

O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2017 | 21h40

SÃO PAULO - O Vem Pra Rua Brasil divulgou um comunicado nesta sexta-feira, 26, em que defende a renúncia do presidente Michel Temer e "o cumprimento integral do que determina nossa Constituição Federal". O texto, publicado na página do Facebook do grupo, explica que o posicionamento se deve ao atual cenário político do País.

"O movimento Vem Pra Rua, diante da gravidade dos fatos revelados nos últimos dias, em mais um capítulo que explicita a promiscuidade em que se transformou a política brasileira, defende a renúncia do presidente Michel Temer", diz a nota.

O grupo atuou em apoio ao impeachment da presidente Dilma Rousseff e no último domingo, 21, cancelou a manifestação convocada alegando motivos de segurança. Segundo eles, não houve tempo hábil para planejar a segurança nos protestos. As centrais sindicais haviam convocado atos contra o governo Temer para o mesmo dia.

Na nota, o movimento ainda destaca que “a estabilização do país e a retomada do crescimento não podem servir de escudo para a manutenção da corrupção e o desmonte da Operação Lava Jato” e diz que "os  fins não justificam qualquer meio".

Sobre a divulgação dos áudios entre o presidente e o executivo da JBS, Joesley Batista, o grupo diz que a tecnicidade da discussão sobre os áudios é irrelevante diante do que foi revelado. "Nossa guerra é contra a corrupção", declaram.

No final da nota, o movimento faz uma lista de políticos que, segundo eles, devem "ser extirpados da vida pública" e citam arney, Lula, Dirceu, Dilma, Temer, Renan, Cunha e Aécio.

Leia a íntegra da nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.