Velório de José Alencar reúne políticos e autoridades

O ex-ministro José Dirceu, que esteve hoje no Palácio do Planalto, onde está sendo velado o corpo do ex-vice-presidente José Alencar, lamentou a morte do amigo, a quem comparou como um pai. "O Lula disse que perdeu um irmão e eu perdi quase um pai", afirmou. Segundo ele, Alencar foi um amigo sempre presente, "uma mão que me amparava, me protegia, muitas vezes me levantava".

AE, Agência Estado

30 de março de 2011 | 13h41

Compareceram à cerimônia ministros de Estado, ministros de tribunais superiores e parlamentares, inclusive da oposição, como os senadores Aloizio Nunes Ferreira (PSDB-SP) e Itamar Franco (PPS-MG). O velório já foi aberto para o público.

O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias, disse que Alencar "foi discreto quando a discrição foi necessária, mas soube contrariar em determinados momentos, até ajudando a oposição, ao criticar as taxas de juros".

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, disse que o Brasil perde muito em humanismo, com a morte de Alencar. "Não tenho dúvida que é algo que faz falta ao homem de forma geral, este sentimento profundo de humanidade, caracterizado por ele".

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, anunciou que dará o nome de José Alencar ao Hospital da Criança, que será construído no DF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.