Velório de Itamar seguirá na madrugada; 15 mil já foram

Mais de 15 mil pessoas haviam passado pela Câmara Municipal de Juiz de Fora (MG) até o fim da tarde deste domingo, segundo a Polícia Militar, para o velório do corpo do senador e ex-presidente Itamar Franco. A previsão é de que esse número dobre até amanhã, uma vez que o velório ficará aberto durante a madrugada. Já foram ao velório em Juiz de Fora hoje o vice-presidente da República, Michel Temer, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Senado, José Sarney, o senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello, o senador Renan Calheiros, o senador Magno Malta, e o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante.

ALFREDO JUNQUEIRA, ENVIADO ESPECIAL, E EDUARDO KATTAH, Agência Estado

03 de julho de 2011 | 18h49

Adão de Assis Ferreira, 47 anos, foi o primeiro a chegar na fila para o velório do ex-presidente hoje. Não fazia questão da primazia, queria apenas se despedir do político que lhe deu seu primeiro tênis quando ainda era criança. Adão tinha 10 anos quando Itamar elegeu-se para o Senado pela primeira vez. Era apenas criança, mas vivia correndo com as bandeiras do então candidato e ex-prefeito de Juiz de Fora. "Simpatizei por ele depois de um showmício. Pegava suas bandeiras e fazia campanha sem nem conhecê-lo", diz Adão. "Um dia, no palanque, pedi para ele um par de tênis. Nunca tinha ganhado nenhum. E ele me deu. Fico muito emocionado. Era um homem que eu admirava muito", afirmou.

Amanhã de manhã, o corpo do ex-presidente será levado para o Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, onde também será velado. No final do dia, o corpo será cremado e as cinzas levadas de volta para Juiz de Fora para serem colocadas no túmulo da mãe do ex-presidente.

A Presidência da República decretou luto oficial por sete dias. A presidente Dilma Rousseff colocou à disposição o Palácio do Planalto para a realização das cerimônias, mas segundo amigos de Itamar, a família optou por manter os funerais nas duas cidades que mais marcaram a trajetória do senador. O Planalto confirmou a presença de Dilma no velório em Belo Horizonte amanhã de manhã.

O senador Itamar Franco (PPS), presidente da República de 1992 a 1994, morreu na manhã de sábado, aos 81 anos, em São Paulo, vítima de leucemia. Ele estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein desde o dia 21 de maio e permanecia licenciado de suas atividades no Senado. Nos últimos dias, o senador apresentou um quadro de pneumonia grave e foi transferido para a UTI. Nas últimas horas de vida, foi vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) e entrou em coma. Segundo o hospital, Itamar morreu por volta das 10h15 da manhã. O corpo foi trasladado de São Paulo para Juiz de Fora num avião da Força Aérea Brasileira (FAB) no início da manhã deste domingo.

Itamar morreu um dia depois do aniversário daquela que é apontada como sua grande obra para o País, a criação do real, moeda que entrou em vigor no dia 1.º de julho de 1994.

Tudo o que sabemos sobre:
morteItamarvelórioJuiz de Fora

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.