Velório de Itamar reúne protagonistas do impeachment

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou 35 minutos no velório do corpo do senador e ex-presidente Itamar Franco, na Câmara Municipal de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Lula foi recebido e se despediu com palmas da população que esperava para entrar na Câmara. Dentro do salão, durante o velório, Lula conversou com o presidente do Senado, José Sarney, e o vice-presidente da República, Michel Temer.

ALFREDO JUNQUEIRA, ENVIADO ESPECIAL, Agência Estado

03 de julho de 2011 | 14h00

No início desta tarde, durante 20 minutos as principais figuras políticas que protagonizaram episódios que levaram Itamar à Presidência, em 1992, estiveram juntas no velório hoje em Juiz de Fora: o senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL), o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que na época presidia a União Nacional dos Estudantes (UNE), e o senador Pedro Simon (PMDB-RS), um dos líderes do movimento pró-impeachment de Collor no Congresso Nacional.

Collor e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) saíram juntos hoje do velório na Câmara Municipal de Juiz de Fora e foram vaiados pela população. Ainda tiveram de ouvir gritos de "pega ladrão" de alguns populares.

Apenas o vice-presidente Michel Temer falou com os jornalistas ao deixar o velório do corpo de Itamar Franco. "Um grande brasileiro. O presidente Itamar Franco deixa um exemplo de dignidade, de coerência ao longo da vida, especialmente em matéria de administração e política. É um exemplo para todos nós que fazemos a vida pública, especialmente porque ele foi praticante de um dos atos mais importantes do País, que foi precisamente a estabilidade em relação à inflação. Foi capaz e teve a coragem de lançar o Plano Real, que manteve o Brasil nos trilhos de uma boa economia. Um exemplo de honestidade para todos os brasileiros," disse Temer, que encerrou a entrevista ao ser questionado sobre o escândalo do Ministério dos Transportes.

O senador Itamar Franco (PPS), presidente da República de 1992 a 1994, morreu na manhã de sábado, aos 81 anos, em São Paulo, vítima de leucemia. Ele estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein desde o dia 21 de maio e permanecia licenciado de suas atividades no Senado. Nos últimos dias, o senador apresentou um quadro de pneumonia grave e foi transferido para a UTI. Nas últimas horas de vida, foi vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) e entrou em coma. Segundo o hospital, Itamar morreu por volta das 10h15 da manhã.

Depois de Juiz de Fora, o corpo do ex-presidente seguirá para o Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, onde será velado na segunda-feira e depois cremado. As cinzas serão levadas para Juiz de Fora e colocadas no túmulo da mãe do ex-presidente. A Presidência da República decretou luto oficial por sete dias. A presidente Dilma Rousseff deve ir ao velório do corpo de Itamar na segunda-feira, em Belo Horizonte.

Tudo o que sabemos sobre:
Itamarvelórioimpeachment

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.