Velório de Alencar reúne políticos de todos os partidos

Ex-vice-presidente da República José Alencar (PRB) foi velado ontem no salão nobre do Palácio do Planalto com honras de chefe de Estado. Um público eclético participou do velório: ministros, governadores, políticos de todos os partidos, integrantes do Judiciário, empresários, servidores e populares. Até as 22h30, 8,1 mil pessoas haviam enfrentado filas e um forte esquema de segurança para ver de perto o corpo do ex-vice-presidente.

AE, Agência Estado

31 de março de 2011 | 08h03

Depois de mais de 13 anos com um câncer no abdome, Alencar morreu de falência múltipla dos órgãos na tarde de anteontem.

Um dos momentos mais emocionantes foi a chegada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao velório, por volta das 21h20. Ele e a presidente Dilma Rousseff estavam em Portugal, onde Lula recebeu um título da Universidade de Coimbra. Ao chegar, Lula abraçou demoradamente o filho do ex-vice, Josué Gomes da Silva. Emocionado, não conseguiu falar e permaneceu um bom tempo segurando a mão do empresário. Ao lado do caixão, Lula chorou copiosamente. Enxugando as lágrimas, segurou as mãos e beijou a testa do seu ex-vice.

A mulher de Alencar, Mariza Gomes da Silva, e o filho Josué consolaram o ex-presidente. Dilma se aproximou do caixão e se abaixou, em sinal de reverência. Populares continuavam a chegar ao Planalto para a última homenagem a Alencar.

Lula e a presidente Dilma acompanham hoje, em Belo Horizonte, a cerimônia de cremação de Alencar, às 14h, no Cemitério Parque Renascer. O governo mineiro organiza um velório aberto ao público no Palácio da Liberdade, de 9h às 13h. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.