Velório cancela agenda de Eduardo Campos em PE

A morte na madrugada de hoje do ex-governador Cid Sampaio, aos 99 anos, por insuficiência pulmonar, alterou o encerramento da campanha de rua do governador Eduardo Campos (PSB), candidato à reeleição. Ele cancelou as duas passeatas que faria em Caruaru, no agreste, pela manhã, e no centro do Recife, no final da tarde.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 18h25

O ato da tarde deveria culminar com um grande comício com a presença de lideranças nacionais do PSB e com os candidatos à Câmara Romário (RJ) e Marcelinho Carioca (SP), ex-jogadores de futebol. De acordo com a assessoria de Eduardo Campos, houve tempo de avisar os convidados, que não chegaram a embarcar para o Recife. Entre eles estão os ministros da Secretaria de Portos, Pedro Brito, e do Trabalho, Carlos Lupi, e o vice-presidente nacional do PSB, Roberto Amaral.

O governador, que decretou luto oficial por três dias no Estado, justificou o cancelamento da sua agenda eleitoral como uma reverência a um homem público que esteve presente na história política pernambucana por mais de 50 anos. "No final dos anos 50, Cid comandou uma ampla frente política que marcou a industrialização do Estado", disse Campos, durante o velório no cemitério Morada da Paz, no município metropolitano de Paulista. "Ele teve como trajetória política a preocupação com o desenvolvimento econômico."

Apontado por todas as pesquisas de opinião como favorito para vencer no primeiro turno por vantagem de mais de 50 pontos porcentuais sobre seu principal adversário, o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), Eduardo Campos já não havia feito campanha ontem, quando foi à Paraíba e ao Rio Grande do Norte reforçar as campanhas de aliados do PSB.

Em situação desfavorável - ele afirma ser esta a pior eleição que já disputou - Jarbas foi ao velório, mas manteve sua agenda, que incluiu seis caminhadas, todas no Recife, onde tem boa receptividade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.