Velloso e Gregori fazem as pazes

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Carlos Velloso, afirmou há pouco que considera encerrado o episódio desta quinta-feira, em que o ministro da Justiça, José Gregori, listou o Judiciário entre os setores que não são aliados do governo no Plano Nacional de Segurança Pública. "Conversei com o ministro da Justiça, de quem sou amigo e admirador, e aceitei suas ponderações. Portanto, dou o assunto por encerrado", disse. O presidente do STF e Gregori se abraçaram fortemente nesta quinta-feira, no gabinete do presidente da Câmara, Aécio Neves. Gregori disse que estava dando um abraço para que todos vissem que entre o Governo e o Judiciário não há crise. Além deles, estavam no gabinete de Aécio os ministros José Serra (Saúde), Pedro Parente (Casa Civil), Aloysio Nunes (Secretaria Geral da Presidência), Carlos Melles (Turismo) e Ronaldo Sardenberg (Ciência e Tecnologia). Um pouco antes, o vice-presidente do Supremo, ministro Marco Aurélio Mello, disse que as declarações de Gregori contra o Judiciário tinham sido um "desabafo infeliz". "O Judiciário tem compromisso maior com a ordem jurídica. Talvez o governo potencialize em demasia a política governamental eleita", afirmou Marco Aurélio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.