Veja tudo o que Lula 'não sabia'

Nesta quinta, o presidente disse que não sabia da gravidade dos problemas aéreos; veja o que mais ele não sabia

02 Agosto 2007 | 13h13

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira, 2, que o governo não tinha conhecimento da gravidade dos problemas no setor aéreo. Desde o seu primeiro mandato como presidente da República, Lula responde a diversos questionamentos sobre seu envolvimento com escândalos que surgiram nesse tempo dizendo que "não sabia".   Veja também: Lula diz que governo não sabia da gravidade da crise aérea   Em outubro de 2006, ao ser questionado, no programa Roda Viva, sobre o fato de se mostrar sempre "surpreendido" com os escândalos, Lula disse que "nem um presidente, nem um pai de família tem como saber de tudo". E acrescentou: "Quantas vezes você está na cozinha, acontece algo na sala, e você não fica sabendo". Veja o que mais Lula "não sabia":   Mensalão   Quando o mensalão se tornou público, em 2005, em uma de suas primeiras declarações na época, Lula afirmou que "não sabia nada" sobre o escândalo.   O mensalão - esquema de compra de votos de parlamentares que veio à tona com uma declaração do deputado federal Roberto Jefferson - fez com que José Dirceu, então ministro da Casa Civil, fosse cassado pela Câmara, acusado de comandar o mensalão.   Palocci e o caseiro Francenildo   No caso da quebra de sigilo do caseiro Francenildo dos Santos Costa, o Nildo, em março de 2006, que envolveu o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci (PT-SP), o presidente novamente se mostrou vítima da situação. Palocci acabou sendo demitido por conta da quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro, que afirmou ter visto o então ministro em reuniões de lobistas.     Dossiê contra tucanos   Em setembro de 2006, a poucos dias do primeiro turno das eleições presidenciais, Valdebran Padilha e Gedimar Passos, ambos do PT, foram presos pela Polícia Federal com R$ 1,7 milhão, dinheiro que seria usado para comprar um dossiê que relacionaria os candidatos do PSDB à Presidência e ao Governo de São Paulo, Geraldo Alckmin e José Serra, respectivamente, com a Máfia dos Sanguessugas. Freud Godoy, assessor especial de Lula, também foi envolvido no caso. O presidente se disse "indignado" com o caso, e atribuiu a história a "desespero de perdedores".   Vavá   Em junho deste ano, o irmão do presidente, Genival Inácio da Silva, foi indiciado pela Polícia Federal por tráfico de influência e exploração de prestígio na Operação Xeque-Mate, que investiga a exploração de caça-níqueis. A PF apresentou gravações telefônicas nas quais Vavá teria usado o nome de Lula para pedir dinheiro. Na época, Lula afirmou: "Não acredito que Vavá seja lobista. Ele está mais para ingênuo."

Mais conteúdo sobre:
Lula caos aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.