Vedoin revela à PF data que sacou propina para 19 parlamentares

O empresário Luiz Antonio Vedoin disse, em depoimento à Polícia Federal na quinta-feira, saber a data em que sacou dinheiro para pagar a propina acertada com 19 dos 84 parlamentares - 81 deputados e 3 senadores - processados no Supremo Tribunal Federal (STF) por envolvimento com a máfia dos sanguessugas. Para o sub-relator da CPI dos Sanguessugas, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), a informação permitirá mapear os procedimentos a partir da apresentação da emenda do parlamentar até a "quitação" do acordo. "Com essas datas, e como nós já temos a quebra do sigilo bancário das empresas, poderemos confirmar que na data, ou na véspera do pagamento, ele, de fato, fez um saque no valor que disse ter pago ao parlamentar", explicou. "Daí a importância dessas datas para a CPI". Sampaio obteve a informação na conversa que teve nesta sexta-feira com delegados da força-tarefa da PF encarregados dos 115 inquéritos relacionados à máfia das ambulâncias. Destes, 84 referem-se aos parlamentares envolvidos no esquema. Os outros 31, tratam de prefeituras com indícios consistentes de participação no esquema.De acordo com o deputado, Vedoin está sendo ouvido pelos delegados sobre o trabalho que a comissão, em parte, já concluiu. Ele acredita que o cruzamento feito por técnicos da CPI sobre a ligação de 60 prefeitos com 37 deputados facilitará as investigações. Caixa desaparecidaSobre a afirmação do empresário à CPI, de que teria uma caixa com o nome de 30 parlamentares ainda não investigados, Carlos Sampaio disse torcer para que esses documentos apareçam. Segundo ele, Vedoin teria afirmado que a caixa foi apreendida pela Polícia Federal ou que não sabia onde ela estava.Chefe da quadrilha dos sanguessugas, juntamente com seu pai e sócio na Planam, Darci Vedoin, Luiz Antonio Vedoin está colaborando com a CPI, PF e Ministério Público em troca do benefício da delação premiada. Ele volta a se encontrar com os delegados da força-tarefa na segunda e na quarta-feira. Na terça-feira, Vedoin será ouvido pelos relatores do Conselho de Ética do Senado encarregados dos processos contra os senadores Ney Suassuna (PMDB-PB), Serys Slhessarenko (PT-MT) e Magno Malta (PL-ES), acusados de envolvimento com o esquema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.