Vazamento de dados prejudica CPI do Banestado, diz Genoino

O presidente nacional do PT, José Genoino, reiterou hoje que o vazamento de dados sigilosos está prejudicando o andamento da CPI do Banestado e o próprio Congresso Nacional. Em entrevista concedida ao portal do partido na internet, ele criticou o que chamou de "banalização" do uso de informações, que normalmente servem para o processo de fiscalização parlamentar e de investigação da Justiça. "Esses vazamentos são políticos, para promover alguns integrantes da CPI, e buscam criar uma rede de intrigas com documentos sigilosos, de depoimentos, e que acabam se voltando contra a própria CPI e o Congresso. Estão banalizando o uso de informações que são instrumentos importantes para a CPI e para a investigação judicial", observou o líder petista. Nas últimas semanas, o recente vazamento de informações da CPI gerou denúncias de sonegação fiscal contra os presidentes do Banco Central, Henrique Meirelles, e do Banco do Brasil, Cássio Casseb. Genoino também voltou a defender o tesoureiro do partido, Delúbio Soares, que vem sendo acusado de irregularidades, como o registro de imóveis, comprados em Goiás, abaixo do valor de mercado, segundo reportagem da edição de domingo do jornal O Globo. Para Genoino, que ontem admitiu que uma parte das informações veio do próprio PT, Soares está sendo vítima de um "denuncismo incontrolável e sem critérios". "Todo mundo do PT conhece o Delúbio há décadas. Isso não pode ser misturado com a campanha para a nova sede do PT, até porque não temos dinheiro para a compra. Também não se pode misturar a questão da nova sede com as dificuldades que nossas candidaturas estão tendo na campanha eleitoral", destacou, referindo-se aos shows da dupla sertaneja Zezé Di Camargo & Luciano que foram realizados, em Brasília, para arrecadar fundos para a nova sede petista, na capital paulista, e que tiveram parte dos ingressos comprada pelo Banco do Brasil. Quanto à votação no Senado do projeto da Parceria Público-Privada (PPP), o presidente do PT informou que o partido está trabalhando para um acordo e que as negociações estão avançadas. Indagado sobre as informações de que os Estados do Acre e do Piauí estariam sendo privilegiados com verbas pelo governo federal por serem governados por governadores petistas, Genoino afirmou que o repasse está sendo feito da mesma maneira que em governos anteriores e que os recursos ainda são pequenos, se comparados aos destinados a outros Estados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.