Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Vazamento de carta cria novo foco de tensão entre Temer e Dilma

Assim que a imprensa publicou os primeiros trechos do documento, a assessoria do vice divulgou uma nota no Twitter dizendo que Temer se 'surpreendeu com o vazamento', já que carta era 'confidencial' e foi enviada em 'caráter pessoal' à presidente

Isadora Peron, Carla Aráujo e Valmar Hupsel Filho, O Estado de S.Paulo

08 de dezembro de 2015 | 12h52

Brasília - O vazamento da carta enviada pelo vice-presidente Michel Temer à presidente Dilma Rousseff criou um novo foco de tensão e gerou versões desencontradas entre aliados dos dois ocupantes do Palácio do Planalto. 

 

Assim que a imprensa publicou os primeiros trechos do documento, a assessoria do vice divulgou uma nota no Twitter dizendo que Temer se "surpreendeu com o vazamento", já que carta era "confidencial" e foi enviada em "caráter pessoal" à presidente.  

 

Um aliado do peemedebista narra com detalhes que Dilma recebeu a carta às 17h34 em seu gabinete e quando Temer desembarcou em Brasília, por volta das 20h, o conteúdo do documento já era público. 

 

O vice escreveu a carta quando ainda estava em São Paulo para cumprir agenda no fim do dia e a encaminhou por e-mail para sua chefe de gabinete enviar a Dilma. Temer resolveu colocar no papel seu descontentamento após a declaração dada pela presidente, em Brasília, de que queria conversar com ele ainda na segunda-feira.

Para aliados do peemedebista, a divulgação da carta foi visto como "mais um ato de desconsideração" de Dilma contra Temer, um gesto de "deseducação política". "Ela quis humilhá-lo. A carta revela a forma do PT de governar. Carta entre vice e presidente não se vaza", disse uma pessoa próxima ao vice.

 

Já auxiliares de Dilma afirmam que a divulgação das palavras escritas por Temer não saiu do gabinete presidencial e que ela mostrou a carta somente a seu núcleo mais próximo. A análise é que não faria sentido o Planalto tornar público o conteúdo de uma carta que deixa claro o afastamento entre o vice e a presidente, justamente num momento em que Dilma buscava se aproximar de Temer. 

Na carta, Temer diz que está fazendo um "desabafo" e acusa a presidente de nunca ter confiando nele e no PMDB. Ele também afirma que sempre foi um vice "decorativo" e demonstra descontentamento pelas falas recentes de Dilma lhe cobrando lealdade.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.