Vazamento de auditoria no PSDB gerou protestos

As suspeitas de aproximação entre sindicalismo, política e a Receita Federal produziu recentemente ao menos um caso rumoroso. Por causa das investigações do mensalão, o órgão auditou as contas de sete partidos. Os detalhes da investigação e a multa aplicada ao PSDB foram os primeiros a vazar. Sob suspeita de sonegação e uso de notas frias, a sigla foi multada em R$ 7 milhões. Está recorrendo.A fiscalização foi o desdobramento da investigação que, inicialmente, visava a quatro partidos (PT, PP, PTB e PL, hoje PR) envolvidos, em 2005, no caso do mensalão. Depois, a fiscalização foi estendida a PSDB, DEM e PMDB. A Receita suspendeu a imunidade tributária dos sete partidos e detectou irregularidades nas contas de todos.A revista Época revelou que os dados do PSDB vieram a público dois meses depois da publicação de um anúncio em um site de classificados. No anúncio, o auditor fiscal Julio Severino Bajerski afirmava que havia perdido uma mala com equipamentos eletrônicos e documentos na rodoviária de Porto Alegre - os documentos formavam o dossiê da auditoria no PSDB.Bajerski foi o auditor das contas tucanas e é ligado do PT. Foi candidato a vereador pelo PT em 2004, em Santo Ângelo, no Rio Grande do Sul. Não foi eleito, mas virou suplente. "O PT está criando uma república de ilicitudes, com o uso criminoso das instituições do Estado contra adversários políticos", reagiu, na ocasião, o líder do PSDB na Câmara, José Aníbal (SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.