Vaticano reconhece milagre e canonizará frei Galvão

O jornal oficial do Vaticano, L´Osservatore Romano, noticiou, no domingo último, 17 que foi reconhecido o milagre do beato Frei Galvão para que ele se torne o primeiro santo brasileiro. O milagre e a pessoa que conseguiu a cura só são divulgados no dia da promulgação do beato à santo, que deve ocorrer no Brasil, em maio do ano que vem, durante a visita do papa Bento XVI. Em Guaratinguetá, cidade onde frei Galvão nasceu, os devotos comemoraram. "Uma grande alegria, agora só resta saber onde será a promulgação e a data", disse a historiadora que acompanha o processo, Tereza Maia. Será o papa Bento XVI que anunciará a canonização oficialmente. O papa vai visitar a cidade de Aparecida, que é vizinha a Guaratinguetá, cidade onde nasceu o religioso. "Esperamos que ele venha aqui também, quem sabe". Os devotos fazem uma missa, no próximo dia 23 de dezembro, na Catedral de Guaratinguetá em ação de graças ao reconhecimento do milagre. Dia 23 de dezembro é a data de morte de Frei Galvão. Beato Há oito anos o frei brasileiro que curava as pessoas em vida foi beatificado e reconhecido pelo papa João Paulo II. Para se tornar beato foram 11 anos de estudo de cerca de 30 mil milagres avaliados. Desta enorme quantidade de graças relatadas por fiéis, cinco foram escolhidas e uma, enviada à Roma. O milagre reconhecido pelo Vaticano foi a cura da menina Daniela Cristina da Silva, de 4 anos. Em 1990 ela estava internada no Hospital Emílio Ribas, na capital, com hepatite B. Sem a esperança dos médicos, a menina tomou a pílula de Frei Galvão, dada pela própria mãe, e foi curada. Como a medicina não conseguiu explicar a cura, a Santa Sé aprovou o milagre de autoria de Frei Galvão e ele foi beatificado. O mais importante trabalho que contribui diariamente para a divulgação do poder divino de Frei Galvão é a distribuição gratuita de uma oração em papeizinhos, que são as chamadas pílulas. Nos papeizinhos picados, fabricados por 17 voluntárias, está escrito: "Depois do parto permanecestes Virgem, Mãe de Deus, intercedeis por nós". A frase era escrita pelo próprio beato que distribuía às pessoas que o procuravam no Mosteiro da Luz, em São Paulo. Hoje são distribuídas cerca de 60 mil pílulas por mês por meio dos Correios. "Estou muito feliz, muito feliz. E sabemos que a partir deste momento teremos mais gente pedindo as pílulas", disse a presidente da Irmandade de Frei Galvão e coordenadora da confecção de pílulas Ondina Rocha Kalil. As pílulas de Frei Galvão distribuídas gratuitamente podem ser conseguidas pelo Correio. Basta enviar uma carta, com outro envelope selado dentro, para a Cátedra de Guaratinguetá: Praça Santo Antonio, número 300, Guaratinguetá, SP (CEP: 12.500-350).

Agencia Estado,

18 Dezembro 2006 | 16h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.