Vantagem de Serra em pesquisa agrada Tasso e o PFL

"É um número expressivo", disse o presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), ao saber do resultado da pesquisa telefônica encomendada por tucanos serristas e publicada na edição desta quinta-feira do Estado, que mostra o prefeito José Serra com 72% das preferências para uma eventual candidatura ao governo do Estado de São Paulo e a pré-candidata petista Marta Suplicy com apenas 17%. O resultado favorável a Serra levou muitos tucanos, sobretudo os aliados do prefeito, a trabalharem com essa hipótese, o que agradou a políticos do PFL. O tucano e ex-ministro Paulo Renato, que almoçou com Tasso, disse que sai da disputa se Serra optar pela candidatura a governador. "Se o Serra aceitar ser candidato ao governo, eu abro mão da minha candidatura."Apesar de o resultado da pesquisa ser alentador para o PSDB, pois a eventual eleição de Serra para o Palácio dos Bandeirantes abriria ao partido a possibilidade de se manter no poder no Estado, Tasso optou pela prudência, explicando que não havia tomado conhecimento dos números da sondagem. Somente na sexta-feira, quando viaja a São Paulo, o presidente do PSDB deverá se encontrar pessoalmente com Serra e avançar nas negociações para a definição do candidato tucano à sucessão presidencial. Alguns políticos ligados ao prefeito dizem que a iniciativa de encomendar a pesquisa teria partido dele, o que reforça a hipótese de Serra vir a concorrer ao governo estadual. Mas o deputado Alberto Goldman (PSDB-SP) afirma que Serra não tem em vista o governo do Estado. Goldman considera a hipótese "inconveniente". "Eu não levo isso em consideração. É algo que não faz sentido. Ou Serra disputa a presidência da República, ou fica na Prefeitura", disse. Goldman pretende disputar o governo estadual, assim como o vereador tucano José Aníbal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.