Silvana Garzaro/Estadão
Silvana Garzaro/Estadão

‘Vamos colocar as cartas na mesa’, diz FHC sobre lista de Fachin

O ex-presidente usou as redes sociais para comentar delação de Emílio Odebrecht, despachada por Fachin, que diz ter pago 'vantagens indevidas não contabilizadas' às campanhas do tucano

Elisa Clavery, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2017 | 17h57

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso usou as redes sociais nesta quarta-feira, 12, para comentar a delação de Emílio Odebrecht, despachada pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). O delator disse ter pago “vantagens indevidas não contabilizadas” às campanhas do tucano.

“Isso nunca chegou ao meu conhecimento, mas também não posso responder nada porque não conheço o texto do que realmente foi declarado e se houve alguma referência específica pelo senhor Emílio.”

Veja o vídeo na íntegra:

O ex-presidente disse, ainda, que o Brasil precisa hoje de transparência. “A Lava Jato está colaborando no sentido de colocar as cartas na mesa. Vamos colocar as cartas na mesa”, disse o tucano. “Eu não tenho nada a esconder, nada a temer, e vou ver com calma do que se trata. Por enquanto, não é nada específico, é tudo muito vago.”

 

FHC também criticou a transcrição do despacho, que disse que as campanhas foram em 1993 e 1997. “Está erradamente no texto, não houve campanha em 93, nem 97. É 1994 e 1998.”

Pela falta de foro privilegiado do ex-presidente, Fachin declinou da competência sobre essa investigação. No despacho, o ministro determinou que a remessa dos autos fosse para a primeira instância da Justiça Federal em São Paulo, onde mora o tucano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.