Validado ato secreto que favorece sobrinha de Sarney

No mesmo dia em que o senador José Sarney (PMDB-AP) foi absolvido pelo Conselho de Ética, aliados e parentes do presidente do Senado nomeados por atos secretos foram oficialmente anistiados e continuarão empregados na Casa. A diretoria-geral validou os boletins sigilosos que deram emprego a Maria do Carmo de Castro Macieira, sobrinha do senador; Nathalie Rondeau, filha do ex-ministro e afilhado político Silas Rondeau; e Alba Leite Nunes Lima, mulher de Chiquinho Escórcio, aliado do presidente do Senado. Os três estão incluídos numa relação de 45 atos secretos validados pela diretoria-geral referentes a nomeações.

AE, Agencia Estado

21 de agosto de 2009 | 07h42

Casada com um sobrinho de Marly, mulher de Sarney, Maria do Carmo Macieira foi nomeada em 29 de junho de 2005 para o gabinete da então senadora e hoje governadora Roseana Sarney (PMDB-MA), filha do presidente do Senado. Hoje, é servidora de Mauro Fecury (PMDB-MA), suplente de Roseana. Sarney chegou a afirmar aos parlamentares que a desconhecia. ?Eu confesso que não sei quem é.? Depois, admitiu. ?Perdão, ela foi nomeada pela senadora Roseana.?

A decisão de validar os 45 atos secretos foi publicada no Diário Oficial da União de quarta-feira, mesmo dia em que o Conselho de Ética livrou Sarney de processos de cassação por quebra de decoro, inclusive os relacionados ao envolvimento dele com esses atos, como revelado pelo Estado. Para validar as medidas, a Diretoria-geral alega que, apesar da nomeação secreta, essas pessoas têm exercido suas funções devidamente.

Além desses 45, outros 34 servidores se encontram na mesma situação e aguardam uma decisão. Entre eles está Henrique Dias Bernardes, que ganhou emprego em abril de 2008, quando era namorado de uma neta de Sarney. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.