Vale tenta evitar interdição de ferrovia pelo MST

A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) recorreu à Justiça do Pará, nesta tarde, para evitar que manifestantes do Movimento dos Sem Terra (MST) interditassem a Estrada de Ferro Carajás. A ferrovia liga a unidade de produção na empresa, no Pará, até São Luiz (MA).Por volta das 10h30, segundo a Vale, um grupo de 30 integrantes do movimento sentou-se na ferrovia e tentou paralisar, sem sucesso, o tráfego. Como os integrantes permaneceram acampados numa região próxima à estrada de ferro, a empresa decidiu recorrer à Justiça para impedir uma nova invasão. A Vale afirma ter recebido informações de que o objetivo é reunir entre 1.500 e 2.000 pessoas, para interditar a ferrovia.O nome da ação movida é interdito proibitório. O objetivo é declarar antecipadamente como crime uma nova ameaça de invasão. Até o fim desta tarde, o pedido de decisão liminar ainda não havia sido julgado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.