USP cria disque-trote

Começa a funcionar na segunda-feira, primeiro dia de matrículas para calouros na Universidade de São Paulo (USP), um disque-trote. Qualquer estudante que se sentir constrangido ou humilhado pelos chamados rituais de recepção deve ligar para o telefone 0800-121090. Do outro lado da linha estarão alunos da USP que encaminharão as denúncias à ouvidoria da universidade. "A recepção precisa ser acalorada, mas sem violência", diz a pró-reitora de gradução da USP, Sonia Penin.O trote está proibido na universidade desde abril de 1999, depois da morte do calouro Edison Tsung-Chi Hsueh, de 22 anos. O corpo dele foi encontrado no fundo da piscina do clube atlético do centro acadêmico da Faculdade de Medicina em fevereiro daquele ano. A orientação agora é organizar atividades de integração ou os chamados trotes solidários, que arrecadam dinheiro para instituições de caridade.O Diretório Central Estudantil da USP fará na quarta-feira um dia de palestras e shows para calouros de todas as faculdades da instituição, no gramado da reitoria e na Praça do Relógio, na cidade universitária. Segundo a pró-reitora, não é possível prever ou controlar todas as atividades programadas pelos alunos para receber os calouros em todos os câmpus. "É o próprio calouro quem vai definir o que é constrangimento ou não e, então, fazer a denúncia", disse. O disque trote funcionará de segunda a sexta-feira, das 9 às 21 horas. Pais ou amigos dos calouros também podem denunciar trotes violentos na USP. O serviço atenderá até 18 de março. As matrículas na USP ocorrerão na segunda-feira e terça-feira nos locais e horários indicados nas páginas 39 a 42 do manual do candidato. As listas com os convocados em outras chamadas da Fuvest sairão nos dias 22 e 28. As aulas começam no dia 25.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.