Uruguai nega apoio a liderança de Lula na Unasul

O governo do Uruguai não defende a nomeação do presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, como futuro secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), informou Montevidéu nesta quinta-feira. O ministro das Relações Exteriores uruguaio, Luis Almagro, informou à imprensa sobre a decisão, rechaçando o que qualificou como versões da imprensa sobre o desejo de o Uruguai apoiar a candidatura de Lula.

AE-AP, Agência Estado

08 de abril de 2010 | 15h43

A Unasul foi um tema abordado pelo presidente uruguaio, José Mujica, em uma reunião ontem com seu colega da Venezuela, Hugo Chávez, em Caracas. Almagro fazia parte da delegação.

O chanceler disse que "não existe nada a respeito" das versões da imprensa sobre o suposto apoio a Lula e desmentiu as notícias. Segundo ele, foram discutidos na reunião aspectos mais gerais e estratégicos da Unasul, e não o tema das possíveis candidaturas para a liderança do grupo.

Durante o governo uruguaio do presidente socialista Tabaré Vázquez, Montevidéu bloqueou a nomeação do ex-presidente argentino Néstor Kirchner como secretário-geral da Unasul. Uruguai e Argentina mantêm uma disputa por causa de uma fábrica de celulose na parte uruguaia do Rio Uruguai, na fronteira entre as duas nações.

Tudo o que sabemos sobre:
UnasulLulaliderançaUruguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.