Urnas eletrônicas brasileiras serão usadas no Paraguai

O Tribunal Superior Eleitoral deverá emprestar, logo após a conclusão das eleições gerais deste ano, marcadas para o dia 27 de outubro, caso haja segundo turno, cerca de duas mil urnas eletrônicas para a Justiça Eleitoral do Paraguai, país onde o voto informatizado brasileiro foi testado com sucesso no pleito municipal de 2001.Solicitação nesse sentido foi feita ontem ao presidente do TSE, ministro Nelson Jobim, pelo presidente e pelo vice-presidente do Tribunal Superior da Justiça Eleitoral do Paraguai, respectivamente Rafael Dendia e Juan Morales. Na reunião com Jobim, na sede do TSE, Rafael Dendia e Juan Morales estavam acompanhados de Carlos Quiñones, diretor-geral do TSJE, e do representante da Organização dos Estados Americanos (OEA), Santiago Murray.Os juizes paraguaios querem que o TSE colabore novamente com a Justiça Eleitoral daquele país, só que dessa vez nas eleições internas promovidas pelos partidos políticos, nas quais votarão apenas seus filiados. O pleito interno está previsto para 28 de novembro. Rafael Dendia lembrou ao ministro Nelson Jobim não ter havido qualquer problema em Assunção e nas demais localidades onde a urna eletrônica foi utilizada nas eleições municipais do ano passado. Conforme o magistrado, o voto informatizado assegurou uma maior participação e confiança dos eleitores paraguaios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.