Universidade do Terceiro Setor negocia parceria

Os cursos do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), de São Paulo, voltados ao terceiro setor podem adotar dentro de seis meses a metodologia de ensino da Johns Hopkins University, uma das mais prestigiadas escolas americanas. O método seria aplicado pela Universidade Aberta do Terceiro Setor - que desde 1999 promove capacitação de profissionais que atuam em organizações não-governamentais e fundações. Somente este ano, quase 2 mil pessoas já fizeram os cursos. A parceria seria a primeira ligada à educação firmada pela universidade no Brasil. Segundo o pesquisador da Johns Hopkins Lester Salamon, programas de capacitação como o que pode ser fechado com o Senac já são feitos com instituições da Europa. "São treinamentos na área de direito, planejamento estratégico, marketing social e capacitação de comunidades", disse Salamon, por telefone, ao Estado. Considerado uma das maiores autoridades em terceiro setor, Salamon trabalha no Center for Civil Society Studies, da universidade americana em Baltimore. Ele será um dos participantes do Seminário Internacional sobre o Terceiro Setor, neste fim de semana em Campos de Jordão, patrocinado pelo Senac e pelo consulado dos EUA. Desde março, o Senac negocia o acordo. Um dos diferenciais da metodologia da universidade é o acompanhamento constante da aplicação dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos. A expectativa é de que entre março e abril a primeira fase da parceria esteja funcionando. "Seria uma oportunidade para melhorar a profissionalização do terceiro setor no País", diz Daniela Ambrógi de Oliveira, gestora de projetos do Senac e organizadora do evento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.