Único projeto de Lula é permanecer no poder, diz Alckmin

Ao final da primeira reunião do conselho político da coligação PSDB-PFL, o pré-candidato tucano à Presidência da República, Geraldo Alckmin, reafirmou suas críticas ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e afirmou que este, num eventual segundo mandato, não teria condições de realizar as reformas. "Não tem a menor hipótese de aprovar as reformas de que o Brasil precisa. Não podemos continuar nesta mesmice. É um governo autoritário, que se utiliza da máquina pública como jamais foi visto", declarou Alckmin, ao sair do encontro, no qual os dois partidos fizeram uma análise das alianças que estão organizando nos Estados. Na avaliação de Alckmin, o único projeto do atual governo é o de permanecer no poder. "Este governo, que mal termina, pode ser um pesadelo num segundo mandato", afirmou Alckmin. No entender do ex-governador paulista, o pesadelo seria inevitável porque "o governo não tem projeto, não terá uma base de sustentação, que será menor, não tem equipe, que se esfacelou, e é de baixíssima credibilidade".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.