Unicamp: sistema de votação do Senado é vulnerável

O presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), disse que "lamentavelmente" o sistema de votação secreta do Senado é vulnerável. "Há possibilidade de, inclusive, adulterar os votos dos senadores", afirmou Jader. O senador acrescentou ainda que os técnicos da Unicamp que fizeram a perícia no sistema de votações concluíram que é possível a identificação dos votos dos parlamentares. Diante deste quadro, o presidente anunciou que até a modificação do sistema para aumentar o nível de segurança das votações não haverá votação secreta utilizando-se o painel eletrônico. As votações secretas, segundo ele, serão realizadas com a utilização de urnas ficando o painel eletrônico reservado apenas para as votações nominais. Ele ressaltou, no entanto, que não foi possível verificar se houve violação da votação da sessão secreta que aprovou a cassação de mandato do ex-senador Luiz Estevão em 28 de de junho de 2000. Segundo ele, o que se sabe é que pode ter havido fraude naquele ou em outro episódio mas o laudo deixou em aberto a possibilidade de ter havido violação porque os técnicos não conseguiram apontar a fraude naquela sessão específica. O coordenador da equipe da Unicamp, professor Álvaro Costa, detalhou alguns dos 18 pontos de vulnerabilidade do sistema eletrônico: os votos dos senadores podem ser alterados mediante a utilização da senha do parlamentar e da senha de acesso ao painel eletrônico; as senhas dos senadores estão arquivadas no sistema o que permite que uma pessoa com acesso tenha conhecimento destes códigos; com a votação secreta em curso, é possível tirar uma lsita com os votos dos senadores; os cabos da rede que interliga os terminais estão instalados em locais de fácil acesso, o que permite que uma pessoa consiga informações secretas com o grampeamento desses cabos, o que possibilitatia até mesmo alteração dos votos. O laudo será encaminhado ao conselho de ética e docoro parlamentar e à Corregedoria do Senado para dar subsídios às investigações sobre a possível violação do sistema de votação. O conselho de ética, que deve se reunir hoje no fim do dia, está analisando o pedido de cassação do senador Antônio Magalhães, por quebra de decoro parlamentar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.