União é responsável por prisões durante ditadura, diz STJ

Tribunal manteve a condenação para que o Estado pague R$ 100 mil às filhas de ex-vereador preso no período

da Redação,

04 Maio 2009 | 16h50

A União é responsável por prisões e perseguições políticas durante a ditadura militar e as ações para reparar danos do período são imprescritíveis. Essa foi a decisão da 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, que manteve a condenação para que o Estado pague R$ 100 mil a título de indenização para as filhas do ex- vereador de Rolândia (PR), segundo informações do site do tribunal.

 

O caso tem origem na prisão de um homem, eleito duas vezes vereador no município paranaense. O médico era pai das autoras da ação. Em 1964, um ano após sua reeleição, foi preso por agentes da Delegacia de Ordem Política e Social (DOPS) e mantido em quartel do Exército em Londrina. Foi solto no mesmo ano e retomou suas atividades normais, mas passou a sofrer de depressão e alcoolismo, o que, segundo a ação, resultou em sua morte, em 1984.

Mais conteúdo sobre:
ditadura militar STJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.