Unesco condena casos de preconceito racial no Brasil

A Unesco divulgou nota de repúdio às ?gravesocorrências de preconceito racial ocorridas no Brasil?. O representante da organização no Brasil, Jorge Werthein, que assina a nota, cita que seis mulheres negras representantes de governos e de organizações não-governamentais ? entre elas, a ministra da Mulher e Coordenação daAção Social de Moçambique, Virgília dos Santos Matabele ? sofreram constrangimentos em um restaurante.Outro alvo de racismo ?inaceitável? foi o secretário-executivo do Ministério do Esporte, Orlando Silva de Jesus Junior, considerado suspeito por um taxista que parou na guarita policial do Palácio do Planalto e pediu que revistassem o passageiro. A Unesco citou ainda o caso do dentista Flávio Ferreira Sant´Ana,assassinado por policiais militares após ser confundido com um assaltante. ?Episódios inadmissíveis como esses ilustram o queenfrentam, diariamente, negros e negras vítimas do preconceito e da discriminação racial em todo o País?, critica Werthein.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.