UnB abre hoje arquivo sobre Carlos Lacerda

A Universidade de Brasília (UnB) abre hoje ao público um arquivo com vasta documentação sobre o jornalista, político, teatrólogo e escritor Carlos Lacerda. São 60 mil itens catalogados. Às 17 horas, a UnB promove a Mostra Ilustrativa e a Abertura do Arquivo Carlos Lacerda, no Salão das Obras Raras da Biblioteca Central. Lacerda é considerado um dos homens que mais participaram da vida política do País, do período do governo do ex-presidente Getúlio Vargas até o golpe militar de 1964.A partir de um estudo sobre a documentação doada pela família de Lacerda, a UnB tornou disponível o fundo em conjuntos de documentação, que abrangem a vida pessoal, a produção intelectual, o trabalho empresarial e a atuação política do jornalista. A documentação inclui cartas trocadas com vários escritores e artistas, "dossiês" sobre eventos importantes na vida de Lacerda - como o atentado da Rua Toneleros -, que incluem recortes de jornais da época, correspondências, artigos e transcrições de depoimentos.A primeira das cartas é uma que escreveu à mãe em 1927, quando tinha 9 anos. Na carta, Lacerda prometeu ser engenheiro agrônomo. Nada premonitório, o menino que um dia seria o pivô na derrubada de alguns presidentes da República faz um juramento de não se meter jamais em política. "Não defenderei, mas também não atacarei", escreveu.Além de jornalista, Lacerda foi teatrólogo, tradutor e escritor. Escreveu mais de 30 livros. Foi vereador, deputado federal e governador do extinto Estado da Guanabara. Lacerda apoiou os militares que depuseram o ex-presidente João Goulart durante o golpe de 1964. Foi ainda pivô na deposição de Vargas, por duas vezes, e do ex-presidente Jânio Quadros.Lacerda é um dos personagens brasileiros mais polêmicos do século passado. Provocou paixão e ódio nos brasileiros. O poeta Carlos Drummond de Andrade tentou confortar o jornalista, numa carta em que dizia: "Ninguém é indiferente ao ´charmeur´ irresistível que você é, e mesmo os que dizem detestá-lo, no fundo gostam de você. Gostam pelo avesso mas gostam." A expectativa da UnB é de que o fundo de arquivo seja uma das grandes fontes de referência bibliográfica do País para historiadores e interessados em aprofundar a pesquisa sobre a vida de Lacerda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.