Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

'Uma ou duas pessoas ou entram no eixo ou serão ignoradas', diz Bolsonaro

Sem citá-los nominalmente, presidente confrontou ministros do STF e afirmou que não vai admitir que 'joguem fora as quatro linhas da Constituição'

Daniel Weterman, Amanda Pupo e Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

07 de setembro de 2021 | 09h26

Brasília - O presidente Jair Bolsonaro manteve o discurso de confronto como ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ao conversar com apoiadores na manhã desta terça-feira, 7, dia em que convocou manifestações a favor do seu governo. Sem citar nominalmente nenhum magistrado, afirmou que "uma ou duas pessoas entram no eixo ou simplesmente serão ignoradas na vida pública".

"Nosso País não pode continuar refém de uma ou duas pessoas, não interessa onde elas estejam", afirmou Bolsonaro em conversa com apoiadores dentro do Palácio da Alvorada, pouco antes de se dirigir à cerimônia de Hasteamento na Bandeira. A fala foi transmitida nas redes sociais do presidente. 

Bolsonaro não os citou dessa vez, mas, nos últimos dias, tem renovado ataques aos ministros Alexandre de Moraes e Luis Roberto Barroso e citado "uma ou duas pessoas" que estariam jogando "fora das quatro linhas da Constituição". Moraes foi autor de decisões que desagradaram ao presidente, como a prisão de aliados no inquérito dos atos antidemocráticos. Já Barroso, que também preside o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi contra o voto impresso, bandeira de Bolsonaro derrotada no Congresso.

O presidente chegou a apresentar um pedido de impeachment contra Moraes no Senado, mas a requisição foi arquivada pelo presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).    

"Vou continuar jogando dentro das quatro linhas, mas, a partir de agora, não admito que outras pessoas, uma ou duas, joguem fora das quatro linhas. A regra do jogo é uma só: respeito à nossa Constituição, liberdade de opinião sempre tendo a nossa Constituição, que é a vontade popular, acima de tudo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.