Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Uma entrevista civilizada entre Bolsonaro e os jornalistas

O resto é uma briguinha que não informa o público e só serve para cada uma das partes mostrar quem é a pior

JR.Guzzo, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2020 | 18h34

Depois que acontece, parece tão simples: por que não fizeram isso antes? Por que não fazem isso sempre? Acredite se quiser, mas aconteceu, finalmente, uma entrevista civilizada entre o presidente da República e os jornalistas. O presidente detesta os jornalistas em geral. Os jornalistas em geral detestam o presidente. Isso, provavelmente, não vai mudar nunca. Mas nenhuma das partes precisa gostar mais da outra, ou fazer as pazes, ou ficar mutuamente mais simpáticas para atender ao interesse do público, que é ser informado corretamente dos atos do chefe da nação. Isso se faz com ordem, organização e respeito de parte a parte.

Na entrevista coletiva que acaba de dar à imprensa, em companhia de diversos ministros – todos de máscara branca – o presidente pôde falar sem gritaria, bate-boca e empurra-empurra, respondendo a perguntas, apenas isso. Os jornalistas puderam perguntar cada um na sua vez, em toda a tranquilidade, sem atropelo e com plena liberdade para fazer as perguntas que quiseram. Os ministros puderam responder as questões que o presidente repassou a eles, por serem melhor informados a respeito do tema. É assim, no fim das contas, que deveriam ser todos os contatos do presidente com a imprensa: com dia e hora marcados, num lugar onde fica todo mundo sentado e cada um fala na sua vez.

Não há nenhuma necessidade de mandar um palhaço, fantasiado de presidente, propor entrevistas e oferecer banana aos jornalistas. Não há nenhuma necessidade de desrespeitar o chefe da Nação para provar a independência, a bravura e o oposicionismo dos entrevistadores. Ninguém precisa competir com ninguém – só na qualidade das perguntas e das respostas. O resto é uma briguinha que não informa o público e só serve para cada uma das partes mostrar quem é a pior. 

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusJair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.