Um país da grandeza do Brasil não pode aceitar pessoas passando fome, afirma Dilma

Brasília – A presidente Dilma Rousseff reafirmou hoje (2) o compromisso de erradicar a pobreza extrema, durante pronunciamento na solenidade de abertura dos trabalhos da 54ª legislatura do Congresso Nacional.. Segundo ela, o Brasil não pode aceitar que pessoas continuem vivendo na “miséria excludente”.

Agência Brasil,

02 de fevereiro de 2011 | 17h28

 

“É vergonhoso que em um país capaz de produzir, no ano passado, 149,5 milhões de toneladas cereais, leguminosas e oleaginosas ainda haja cidadãos que passem fome”, disse a presidente. “Para ser verdadeiramente democrático, o Brasil precisa criar oportunidades para todos.”

 

Ela afirmou que a criação de uma ampla rede de proteção social possibilitou uma renda maior aos brasileiros nos últimos anos. “Conto com o apoio dos senhores, representantes legítimos do povo. A superação da pobreza extrema e a geração de oportunidade para todos os brasileiros constitui a consequência natural de uma política macroeconômica para gerar um novo símbolo de crescimento sustentável.”

 

Durante seu discurso, Dilma afirmou que não permitirá que a inflação volte a prejudicar os mais pobres. “Vivemos um momento inédito na história do país, em que o número de trabalhadores formais superou o de informais. Entre 2003 e 2010, foram criados 15 milhões de empregos.”

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma, Congresso, pobreza, fome

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.