Um mau ano para quem curte feriadões

Aproveite bem este restinho de feriado de réveillon porque 2002 não vai ser fácil. Se no ano que passou o paulistano teve 11 feriados prolongados, neste serão apenas 7. E a terça de Carnaval vai acontecer bem mais cedo: em 2001 foi em 28 de fevereiro, e desta vez será duas semanas antes, no dia 12.No ano passado, apenas um feriado caiu no sábado. Este ano são três: Independência do Brasil, Nossa Senhora Aparecida e Finados. O de 9 de julho, que havia caído em uma terça, ficou para segunda, o que acabou com as chances de quem gosta de dar uma esticada.Duas datas comemorativas, o Dia do Trabalho e o Natal, caem na quarta-feira. Em 2001 três dias de folga eram quintas-feiras: Aniversário de São Paulo, Proclamação da República e Corpus Christi. Neste ano só sobrou o Corpus Christi ? e nem poderia ser diferente, porque ele cai obrigatoriamente em uma quinta.Para paulistanos, folgas são fundamentaisPara a publicitária Urânia Guedes, de 46 anos, os feriados são essenciais para deixar um pouco de lado o estresse vivido na cidade de São Paulo. ?Vivemos numa cidade acelerada, e os feriados são uma forma de nos permitirmos alguns dias de descanso.?O estudante Nicholas Miranda Barbosa, de 8 anos, acha que os feriados são bons porque, além de dar uma folga nas escolas, eles criam oportunidades para a família se reunir. ?Adoro ir ao Parque do Ibirapuera andar de bicicleta com minha mãe, meu pai e meu irmão.??Temos a necessidade de dar uma escapadinha do trabalho e aproveitamos para fazer isso nos feriados. O brasileiro está acostumado com isso?, reforça o publicitário Marcelo Zetune, de 40 anos.A empresária Cinthia Toledo, de 39 anos, assegura que os feriados prolongados farão falta aos paulistanos. ?Mesmo com poucos feriados, estou com a expectativa de que esse ano seja muito melhor que o ano passado. Tenho sempre em mente que, depois de um ano ruim, haverá sempre um bom em seguida.?A professora Elizabeth Uhle, de 25 anos, discorda. Para ela, os brasileiros estão muito mal acostumados com muitos feriados. ?Não tem sentido ter tantas datas comemorativas e tantas emendas. Elas acabam quebrando o ritmo de trabalho.??Os paulistano acaba ficando preguiçoso com esse monte de feriado. Acabamos produzindo muito menos?, concorda o professor de musculação Milton Kimura, de 23 anos.Para ele, os maiores prejudicados são os estudantes, que pagam a faculdade o mês todo e acabam tendo aulas a menos. ?As escolas não costumam repor as aulas perdidas?, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.