Um em cada quatro brasileiros recebe o Bolsa-Família

Dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento Social revelam que o programa atende 45 milhões

Andréia Sadi, do estadao.com.br,

21 de agosto de 2007 | 13h58

Um em cada quatro brasileiros recebe o Bolsa-Família, um dos principais programas do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo levantamento divulgado nesta terça-feira, 21, pelo ministério do Desenvolvimento Social. O País conta com uma população estimada em 190 milhões de brasileiros,  segundo o Instituto Brasileiro Geografia e Estatística (IBGE).      Veja Também:  Os números da pesquisa   O  "Perfil das Famílias Beneficiárias do Programa Bolsa Família ", divulgado nesta manhã, revelou que cerca de 45,8 milhões de pessoas estão sendo atendidas e beneficiadas pelo programa. Junto ao programa Fome Zero, o Bolsa- Família é um dos principais responsáveis pelo alta índice de popularidade do presidente Lula.   O Ministério do Desenvolvimento Social disse  também que cresceu o número de famílias atendidas pelo programa. " O número de famílias cresceu sim, são 11 milhões e 100 famílias atendidas pelo programa. Mas tudo dentro do orçamento", diz a assessoria do ministério. Para este ano, o orçamento do Bolsa-Família é de R$ 8,7 milhões de reais. As famílias selecionadas ao benefício não podem ter renda acima de R$ 120 por mês.  Por meio da transferência direta de renda à família, o Bolsa-Família procura erradicar a pobreza e a fome, além de reduzir a desigualdade social no País.  Perfil O objetivo do levantamento, segundo o ministério, é mostrar que o "Bolsa-Família tem uma boa focalização na população de baixa renda, além de servir como base para implementação de políticas públicas destinadas a esse segmento".  Entre os 11 milhões  que recebem o benefícios, mais de 80%  estudaram até a 8ª série do Ensino Médio, enquanto 16,2% se declararam analfabetas. A maior parte dos beneficiários - 69% - vive em áreas urbanas.  A situação em que vivem os beneficiados continua precária, mas a comparação do perfil de 2005 com o de 2007 mostra que houve melhora nesse período.  O abastecimento de água pela rede pública atinge, atualmente, 64,7% das famílias beneficiadas, contra 61,1% em 2005. O acesso médio aos serviços de escoamento sanitário passou de 33,9% para 36,4 entre as famílias inscritas no programa.  Texto atualizado às 15h30

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsa-Família

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.