Um bebê nasce de um esperma congelado há 21 anos

O bebê inglês nasceu há dois anos ? o fato só foi revelado hoje ? mas o esperma que o gerou foi congelado há 21 anos. Dra. Elizabeth Pease, consultora em medicina reprodutiva do St. Mary?s Hospital, onde o nascimento ocorreu, disse que idade do esperma torna o caso um recorde mundial.Segundo a médica, o pai teve cinco ampolas de seu esperma ?criopreservados? quando tinha 17 anos, antes de um tratamento de câncer testicular, que tornou-o estéril.Uma dessas ampolas foi descongeladas em 1995, para inseminar os óvulos de sua parceira, quando o casal ? não identificado ? decidiu tentar ter um filho.A primeira tentativa não teve sucesso e o casal recomeçou o tratamento de fertilidade e usou novamente o esperma congelado. Em 2001, ela finalmente engravidou na quarta tentativa de inseminação. E deu à luz em 2002.Greg Horne, o embriologista chefe do St. Mary´s Hospital, provou que o congelamento a longo prazo do esperma pode conservar com sucesso sua qualidade e fertilidade.?É importante saber isso, porque o sêmen estocado de pacientes jovens com câncer é retirado sob grande stress emocional, quando a fertilidade futura não parece uma prioridade imediata?, ele diz.?Isto também indica que precisamos manter pesquisas repetidas sobre sêmens congelados por 25 anos, no mínimo?, acrescentou.Dra. Virginia Bolton, embriologista do King´s College Hospital, de Londres, acha que o caso traz novidades bem-vindas mas ?não é tão surpreendente?.?Pelas pesquisas com animais, a única perda que poderia ocorrer com esperma congelado é através da radiação?, diz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.