Um aniversário com festa no palanque

Kassab lidera homenagens a Serra

Silvia Amorim, SÃO PAULO, O Estadao de S.Paulo

20 de março de 2009 | 00h00

Em cima do palanque, com direito a parabéns puxado pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM) e presente ecologicamente correto entregue por alunos de escolas estaduais. Assim o governador José Serra (PSDB) comemorou ontem seu 67º aniversário. A homenagem foi durante o lançamento de um programa de educação ambiental para crianças.Nos discursos não faltaram elogios e votos de um futuro promissor. Tudo muito contido, claro, ao melhor estilo Serra, sem menção aos planos presidenciáveis do aniversariante.A lembrança da data partiu do afilhado político. "Ao usar a palavra quero dizer que tenho certeza que interpreto o sentimento de todos, desejando um aniversário muito feliz para o governador. É aniversário dele", anunciou Kassab, puxando o tradicional Parabéns pra você. Abraçado a Serra, o prefeito fez seus votos: "Desejamos ao querido governador muita saúde, muitas felicidades, que ele tenha muita energia ainda para cumprir tantas missões que ele tem pela frente na vida pública."Depois, foi a vez do recém-empossado presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz. "Você pode se considerar um homem feliz porque pode comemorar realizando, empreendendo. É um paradigma de político."Rodeado de crianças, alvo do programa anunciado pela Secretaria do Meio Ambiente e de quem ganhou uma sacola retornável, Serra, em seu discurso, lembrou da escola dos tempos de infância e do último passeio com o neto ao zoológico. "Eu estudava numa escola que estava cheia de árvores. Paineiras imensas. No parque tinha árvores incríveis de frutas que eu nunca mais vi, como jenipapo. Ainda tem jenipapo em São Paulo?", perguntou ao secretário Xico Graziano.Do neto Antônio, o avô, orgulhoso, ressaltou a consciência ambiental da nova geração. E, às crianças presentes, pregou o discurso sobre os malefícios do fumo, uma obsessão de Serra. "Quem tem pai ou mãe que fuma devia ficar atazanando, chateando para não fumar", recomendou, aos risos. Depois de abraços e fotos com a criançada, voltou ao Palácio dos Bandeirantes, onde, no dia anterior, ficou recluso, às voltas com a demissão do secretário da Segurança Pública, Ronaldo Marzagão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.