UE mantém embargo a carne após reuniões com Brasil

Nova lista de fazendas só deverá sair após nova inspeção, no dia 25.

Márcia Bizzotto, BBC

15 de fevereiro de 2008 | 16h30

Depois de dois dias de negociações em Bruxelas, o governo brasileiro não conseguiu convencer a Comissão Européia (órgão Executivo da União Européia) a readmitir as importações de carne do Brasil, suspensas desde 1º de fevereiro.Em um comunicado divulgado na quinta-feira à noite, o Ministério da Agricultura brasileiro dissera que o número de fazendas em condições de atender à UE seria definido nesta sexta-feira.No entanto, a única conclusão a que chegaram a equipe liderada pelo secretário de Defesa Agropecuária, Inácio Kroetz, e os técnicos da divisão de Saúde e Proteção ao Consumidor da CE é que esse número só poderá ser estabelecido depois de nova inspeção das fazendas brasileiras, prevista para o próximo dia 25.Essa determinação já havia sido estabelecida pela CE, mas o Brasil ainda tinha esperanças de reverter a situação mediante a apresentação de nova documentação sobre as fazendas auditadas.NúmerosSegundo Kroetz, "o que ficou bem claro nessas reuniões é que não há uma limitação no número de fazendas que poderão exportar para a UE, mas sim de capacidade operacional para realizar inspeções.""O número inicial (de fornecedores) vai depender do que os técnicos europeus concluírem a partir dessa missão e irá sendo ampliado sempre que possam ser feitas novas inspeções", o secretário afirmou à BBC Brasil.Segundo um alto cargo da CE que participou das negociações, "o problema não é ter uma lista de 300 fazendas, mas sim ter uma lista com fazendas que cumpram as condições especificadas". "Todos os estabelecimentos que estão dentro dessas condições serão aprovados. Se são 300, muito bem. Mas se são 400 ou 500 também está bem. Ninguém deveria se centrar nesse número", assegurou.Kroetz defende que, "para poder abastecer o mercado europeu, temos que pensar em milhares de propriedades, não em centenas". "Mas no momento não estamos falando em números. Agora estamos aperfeiçoando nossas informações para garantir que todas as fazendas estejam cumprindo suas obrigações quando forem auditadas."PolíticaOs técnicos do FVO (Departamento de Alimentação e Veterinária, na sigla em inglês), responsável pelo controle sanitário na UE, deverão visitar entre 25 e 35 fazendas para verificar se cumprem todas as exigências européias, especialmente em rastreabilidade.Os envolvidos nas negociações se recusam a estimar quanto tempo será necessário para que a primeira lista de estabelecimentos exportadores possa ser aprovada, mas sabe-se que a missão ficará no país até 14 de março e, de acordo com procedimentos habituais, é necessário pelo menos mais um mês para a preparação do relatório das auditorias.Na opinião de outro alto funcionário europeu presente nas reuniões, a raiz do impasse é que UE e Brasil encaram a questão da carne de formas distintas."Para o Brasil isso é um problema político, mas nós estamos olhando estritamente os critérios técnicos", argumentou.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
carneunião européiauebruxelas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.