UDR pretende cobrar agentes por desapropriação errada

A União Democrática Ruralista (UDR) quer que os agentes públicos responsáveis pela desapropriação da fazenda Teijin, em Nova Andradina (MS), paguem a indenização devida aos donos da propriedade, caso a Justiça confirme que houve erro na avaliação da produtividade da área. Em decisão divulgada ontem, o Tribunal Federal de Recursos da 3ª Região condenou o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) a pagar R$ 80 milhões aos proprietários por considerar que a área era produtiva e não poderia ter sido expropriada para a reforma agrária.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

18 de junho de 2010 | 17h29

O Incra, que já assentou 1.067 famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) nas terras, vai entrar com recurso. De acordo com o presidente da UDR, Luiz Antonio Nabhan Garcia, caso a decisão do TRF seja mantida, a entidade entrará com ação para que os responsáveis pelo erro façam o ressarcimento do erário com recursos pessoais. "O contribuinte não pode continuar arcando com prejuízos resultantes da imperícia ou da irresponsabilidade de agentes públicos", disse. Segundo Nabhan, a UDR nacional instruiu seus advogados para o acompanhamento do caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.