UDR pede prisão de Stédile e acusa ministro

O presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luiz Antônio Nabhan Garcia, pediu nesta terça-feira, ao depor na CPI da Terra, no Senado, a prisão do coordenador do MST, João Pedro Stédile, e acusou o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, e os dirigentes do Incra de ?compactuarem? com os sem-terra. Segundo ele os produtores rurais estão em ?estado de pânico? diante das invasões. ?O que estão fazendo hoje é infernizar o campo e nós que somos os responsáveis por um terço do PIB e que respondemos por 42% da balança comercial somos as vítimas?, disse.Garcia condenou Stédile pela iniciativa de ?infernizar? o País com as invasões. ?O que nós estamos vendo é o abril vermelho, nunca houve tantos atos criminosos como agora?, afirmou. Adversários ferrenhos, eles concordaram em um ponto: à ineficiência e inoperância do Incra. Enquanto Stédile acusou o órgão de ser incapaz de promover a reforma agrária, o presidente da UDR pediu à CPI que adote providências para impedir que o instituto continue pondo em prática a instrução normativa que estaria desrespeitando o tamanho da propriedade para fins de desapropriação.Ele também acusou o Incra de tentar interferir na Justiça para tentar adiar a concessão de reintegração de posse de áreas invadidas pelo MST. O ruralista protestou, ainda, contra a iniciativa da Ouvidoria Agrária Nacional de interceder a favor de pessoas acusadas de matar proprietários de terra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.