Ucrânia e grupos separatistas iniciam processo de libertação de prisioneiros

Os governos da Rússia, Ucrânia e grupos separatistas fizeram troca de prisioneiros neste sábado, iniciando o processo de acordo de paz, intermediado por líderes internacionais.

Estadão Conteúdo

21 Fevereiro 2015 | 17h57

Um representante separatista observou a troca em uma localização remota, próxima a linha de confronto entre os dois países, e disse que 139 soldados ucranianos e 52 rebeldes foram transferidos.

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, escreveu sobre o processo em sua conta no Twitter. "Nas próximas horas, 140 dos nossos heróis estarão livres", escreveu, sem dar mais detalhes. O porta-voz Svyatoslav Tsegolko confirmou que apenas 139 soldados foram liberados e outro deve ser nos próximos dias.

O acordo de paz assinado na semana passada em Minsk prevê a troca de prisioneiros, mas não determina quantos. Donetsk diz que a Ucrânia mantém 580 rebeldes como prisioneiros.

Apesar do acordo de cessar-fogo, militares da Ucrânia e rebeldes separatistas pró-Rússia se acusam mutuamente de continuar a montar ataques. O porta-voz de segurança da Ucrânia, Andriy Lysenko, disse que um soldado foi morto e 40 feridos em ataques nos últimos dias. Ele falou em 10 ataques com morteiros contra as forças ucranianas na aldeia de Shyrokyne, localizada nos arredores da cidade portuária Mariupol. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Ucrânia Rússia prisioneiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.