Ricardo Botelho/Estadão
Ricardo Botelho/Estadão

Twitter permite mais proximidade com representantes

Para Fernando Gallo, gerente de políticas públicas da empresa, a rede consegue atender as demandas sociais

Paulo Oliveira, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

07 de setembro de 2019 | 17h00

Em 13 anos de existência, o Twitter se tornou a principal ferramenta de comunicação de políticos em todo o mundo. Cada vez mais eles se manifestam por meio da rede, que tem se tornado o canal oficial de alguns deles.

“O Twitter vem sendo usado como uma espécie de praça pública de conversa. Há um alargamento da esfera pública, e o mundo digital costuma ser um reflexo do mundo fora das redes”, afirma o gerente de políticas públicas da rede social no Brasil, Fernando Gallo.

De acordo com ele, o fato de o microblog ser em tempo real e público permite maior aproximação entre representantes e representados. O gerente acrescenta que o uso da rede social por diferentes figuras políticas e entidades governamentais ultrapassa os limites institucionais.

Gallo cita a passagem do Furacão Harvey, em 2017, no estado americano do Texas como um exemplo da eficácia da ferramenta. Ele lembra que o uso da rede social possibilitou que equipes de resgate soubessem onde havia vítimas. 

Além disso, por meio da plataforma, foi possível estimular a arrecadação de donativos e milhões de dólares às vítimas do desastre natural.

No fim de junho deste ano, o Twitter publicou um comunicado que detalhava as regras sobre as postagens feitas por figuras públicas que violem as regras do site. A rede social só manterá a postagem caso o tuíte tenha interesse público.

A nova política prevê que o usuário da plataforma seja avisado sobre tais regras antes de acessar algum conteúdo sensível tuitado por essas pessoas.

“Um papel fundamental de nosso serviço é disponibilizar o registro do que esses líderes tuitaram para mantê-los responsáveis por suas declarações e, além disso, permitir que haja um espaço ao qual qualquer pessoa tenha acesso e possa responder publicamente a essas declarações”, alegou a empresa, por meio de um comunicado.

Segundo o Twitter, as regras são aplicadas a políticos ou representantes do governo, usuários com contas verificados e a quem tiver mais de 100 mil seguidores.

A empresa alega que as regras não serão aplicadas a postagens feitas antes de 27 de junho.

Tudo o que sabemos sobre:
Twitterdemocracia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.